#BMBlog

#BMBlog

Slider

Existe hoje uma enorme gama de tipos de sistemas de gestão empresarial, de diversos fabricantes e alguns com módulos bem específicos de mercado, além de poder escolher entre em nuvem ou On Premise. Dentre eles, um que se destaca para empresas que não podem ou não desejam gastar muito com implementação e mensalidades, são os ERPs Open Source.

Os softwares open source são livres para modificação e compartilhamento, por parte dos desenvolvedores que desejam utilizar e colaborar com o sistema.

Portanto, um ERP open source tende a ser gratuito (ou pelo menos sua versão mais enxuta), tem seu código fonte aberto para mudanças, e é construído e atualizado por uma comunidade de desenvolvedores, onde é possível encontrar e compartilhar soluções personalizadas.

A seguir, confira as vantagens e desvantagens do modelo de ERP open source, e se vale a pena investir para a sua empresa.

Os diferentes tipos de sistema de gestão

Antes de se aprofundar nos softwares open source, é preciso entender quais são os tipos de ERPs que a sua empresa tem disponíveis para a escolha, e o que cada um deles pode oferecer. Em uma visão mais ampla, podemos dividir os sistemas de gestão em duas categorias: em nuvem ou on premise.

  • ERPs que operam na nuvem tendem a ser mais flexíveis e podem operar com módulos bem específicos, de acordo com seu nicho empresarial. A maioria também possui um preço mais acessível, o que tem agradado pequenas e médias empresas.
  • Já os sistemas de gestão On Premise podem ser vistos como os gigantes do mercado, e não é para menos: as empresas de ERP dominantes operam neste modelo. São ERPs robustos, que podem encarar uma demanda altíssima sem apresentar erros ou problemas, e que são instalados em um servidor da empresa, de forma local.

A maioria dos sistemas bem personalizados são em nuvem, enquanto que os On Premise possuem uma variedade incrível de módulos para diferentes áreas de uma mesma empresa, e por conta disso, é geralmente a opção escolhida por grandes empresas e multinacionais.

Agora, entendido que é possível escolher onde o ERP será instalado e utilizado, veja a diferença entre um ERP proprietário, e um ERP open source:

  • ERP proprietário: é um software pago, que possui uma empresa proprietária, e o desenvolvimento, suporte e atualizações do sistema fica a cargo da empresa proprietária, sem que o cliente precise se preocupar em manipular códigos e criar ou procurar em fóruns todas as customizações que precisa.
  • ERP open source: como já enfatizamos, este ERP é aberto a modificações e pode ser customizado como a empresa desejar, desde que esta tenha uma equipe de TI muito bem preparada para lidar com o modelo e criar ou buscar as soluções desejadas. Empresas que oferecem ERPs open source geralmente possuem módulos extras que podem ser comprados e implementados.

Principais vantagens de um ERP open source

A grande vantagem do ERP open source é a possibilidade de fazer alterações e personalizações de acordo com suas necessidades exatas.

Ao contar com uma equipe de desenvolvedores que tem facilidade com softwares open source, manusear o ERP não será um problema. Além disso, alguns deles possuem comunidades muito bem engajadas e que oferecem muitas atualizações do ERP.

A gratuidade ou baixo custo de aquisição (afinal, nem todos os softwares livres são gratuitos), também é um ponto de atração. Porém, é preciso estar atento à outros custos atrelados, como módulos extras que devem ser pagos, ou mesmo o investimento em consultorias especializadas.

Desvantagens em relação aos ERPs proprietários

O primeiro ponto de desvantagem a ser sentido é a falta de suporte técnico. Para resolver problemas é necessário fazer uma consulta com outros usuários do ERP, e encontrar a solução vai depender muito da adesão de terceiros ao sistema, e se estes já passaram pelo problema também.

Com um ERP proprietário isso não ocorre, pois o suporte fica a cargo do próprio fabricante, e não é difícil tirar dúvidas sobre o sistema contratado. Além disso, a gama de empresas de consultorias em sistemas de gestão deste modelo é maior.

Os ERPs proprietários também têm mais facilidade para integrar com outros programas e aplicativos, garantindo certa flexibilidade nesse sentido. Ainda, há uma constante de atualizações que podem ser acompanhadas periodicamente, garantindo seu bom funcionamento na empresa.

Como saber qual é o modelo ideal para a minha empresa?

Entendendo as vantagens e desvantagens do ERP open source, fica mais fácil entender sobre as garantias e riscos que este modelo propõe. 

Ao optar pelo open source, é preciso ter em mente que é indispensável contar com profissionais de TI com domínio no assunto, já que não há garantias com suporte e atualizações, e a personalização ficará a cargo da sua empresa.

Por isso, para empresas que precisam utilizar um ERP em vários setores diferentes, e por uma quantidade muito grande de pessoas, o sistema de gestão proprietário é mais recomendado.

Isso não quer dizer que há uma regra sobre qual solução será melhor para o seu negócio, afinal, há muitas empresas e comunidades grandes e conhecidas de desenvolvedores que ofertam ERPs de excelente qualidade que são open source.

Em geral, a dica é: planeje com cuidado. Contratar um sistema de gestão é um grande passo para sua empresa, e voltar atrás com essa decisão pode trazer incômodos.

Se você ainda está em dúvidas sobre qual ERP contratar na sua empresa, que tal ler também sobre o ERP RM, e se ele é ideal para o seu negócio?

LEIA NOSSOS OUTROS ARTIGOS

FALE CONOSCO

Queremos ouvir você e apresentar o diferencial de contar com a consultoria BM TEC

« AVISO LEGAL »

Protheus , RM e Totvs são produtos e marcas registradas e de propriedade da Totvs S/A.

A BM Tec é uma empresa de consultoria independente que não possui vínculo comercial ou de parceria com a TOTVS.

Protheus , RM e Totvs são produtos e marcas registradas e de propriedade da Totvs S/A.

A BM Tec é uma empresa de consultoria independente que não possui vínculo comercial ou de parceria com a TOTVS.